P.D.F. - Como arrumar emprego na Europa ~ Ela é americana... da América do Sul

P.D.F. - Como arrumar emprego na Europa

Já recebi muitos emails de gente querendo saber como fiz pra conseguir meu emprego aqui na Suiça, querendo saber mais como funciona o processo de seleção por aqui, como achei meu emprego, etc. Então ao invés de continuar respondendo um a um com mais ou menos a mesma resposta, já está mais que na hora de escrever logo um P.D.F. sobre o assunto.

Não vou falar de novo sobre os motivos que me fizeram decidir a procurar um emprego aqui, ok? O que vale deixar claro é que eu não conhecia ninguém aqui antes de vir, tudo foi feito na maior transparência e honestidade, então o que escrevo aqui é por experiência própria.

Bom, é preciso deixar claro também que a minha área é a área de TI (tecnologia da informação), onde sempre tem muitas ofertas. Imagino que o cenário para quem é médico ou advogado seja completamente diferente. Para algumas áreas, o diploma de universidade para ser reconhecido aqui e valer como formação precisa ser complementado pelo que o governo achar necessário. De novo: depende da área.

Na área de Informática, o cenário é mais simples, pois o que se aprende nas universidades de Ciência ou Engenharia da Computação é mais ou menos a mesma coisa em qualquer lugar do mundo, então o conhecimento exigido é basicamente universal. Esse fator foi extremamente importante na minha decisão, naturalmente.

As ofertas na área de TI são muitas, muitas mesmo. A área é sempre necessitada de gente qualificada, então se você se garante e quer se dar uma chance, go for it!

Sites de Emprego


monster.ch
Há diversos sites de busca de emprego. Eu usei vários e me candidatei a mais de 100 vagas que encontrei por aí

http://www.monster.com

O Monster é o gigante dos empregos de TI. O site está disponível em quase todos os idiomas e países e as ofertas são muitas e bem variadas. Fazendo uma busca pelo nome do emprego, voce vai achar muitas opções com links diretos para a empresa que está com a vaga aberta, ou para o próprio Monster.

Há vários outros sites e o esquema é basicamente o mesmo:
http://www.tiptopjob.com/
http://www.theitjobboard.com/
http://www.careerbuilder.com/
http://www.totaljobs.com/

Além, é claro, dos próprios sites das empresas que voce está interessado. Empresas grandes normalmente tem seu próprio sistema de vagas em aberto constantemente atualizado.


Redes Sociais

xing.com
Parece brincadeira, mas as redes sociais (não o Facebook, muito menos o Orkut) são ótimos canais para procurar emprego. Com o seu perfil atualizado, até empresas agora costumam usar isto para encontrar candidatos e entram em contato com voce. Eu mesma já recebi vários contatos com gente interessada no meu perfil perguntando se eu não estou interessada numa vaga assim e assado. Além disso, essas redes têm uma área só de Jobs com anúncios atualizados e normalmente muito atraentes.

http://www.linkedin.com
http://www.xing.com

O Xing é uma rede mais popular na Alemanha e aqui na Suiça. Já o LinkedIn é mais internacional. No LinkedIn, seus colegas de trabalho que estão conectados a voce podem fazer recomendações em empregos que trabalharam juntos e isso conta bastante para a empresa interessada. Acho legal também pra manter contato com antigos colegas de ex empregos. Além do que, um networking é sempre bom.


Currículo


Não vou aqui dar dica de como construir seu curriculo. Só digo que tente deixá-lo o mais resumido possível. Nada de ladainhas, frases mascaradas e mentiras nem pensar. O modelo das redes sociais normalmente ajuda.


Carta de Apresentação (Cover Letter)


Cover Letter
Esse foi um ponto que eu penei um pouquinho. Quando comecei a procurar emprego aqui, sempre via nos anúncios "Envie Curriculo e Carta de Apresentação". E que danado seria essa carta ne, eu pensava... pesquisei em forums, conversei com uma antiga colega de curso de Alemão que trabalhava na Siemens na época e ficou claro que além do CV, eu tinha que enviar essa carta me apresentando, uma curta introdução da minha experiência e apresentado razões sutilmente escritas de como eu me encaixo naquela vaga e porque eu mereço ser levada em consideração. E olha, essa carta conta bastante. É crucial pro segundo passo no processo. Para algumas vagas em Alemão, eles pedem que a Carta seja em Alemão ou Inglês, dependendo do caráter da empresa.


O Processo

Os empregos daqui normalmente têm descrições bem detalhadas e tentam ser o mais atraente possível. Não é só "Necessário: C e banco de dados". As job description geralmente falam um pouco dos benefícios e aí se simpatizou, envie seu CV e Carta de Apresentação num belo e gentil email e cruze os dedos.


Primeiro Contato

A caminho da entrevista de emprego
Por email mesmo ou por telefone, se entrarem em contato com voce, é meio caminho andado. Sinal que gostaram de seu CV e sua cartinha. Talvez queiram fazer algumas perguntas pessoais pra entender voce melhor e agendar uma entrevista cara a cara. A próxima entrevista pode ser mais um contato inicial, uma coisa ainda geral, ou já uma prova, um teste técnico na área da vaga que voce está se candidatando. Eu aqui precisei fazer testes. Fui deixada numa sala e tive uma hora pra fazer uma prova de conhecimentos técnicos. Depois, podem dar uma revisada rápida com voce, ou simplesmente guardar e ser visto depois, longe de voce. Passei pelas duas situações e não foi nenhum bicho de sete cabeças.


Negociações

Até então, o processo é parecido como é no Brasil e tudo parece ser bem familiar pra voce. É, na verdade, o que muda é o idioma e algumas formalidades. Às vezes as entrevistas são mais de 1 ou 2 e pode demorar mesmo. Para meu atual emprego, eu fiz 3 entrevistas por telefone, 1 cara a cara, prova e foram muitos e muitos telefonemas seguintes para negociações. Se as entrevistas forem bem sucedidas, vão te perguntar qual sua intenção salarial, e essa parte é sempre delicada, porque se voce fala um valor muito alto, corre o risco de ser descartado, e se fala um valor baixo, a empresa pode achar que voce não se garante nem se valoriza. Portanto, a regra é universal: vale pesquisar bastante e estar a par dos salários do seu nível e de acordo da região que está. No meu caso, foram muitos vai e véns na negociação porque eu não sabia direito como funcionava questões de descontos, impostos, etc. aqui na Suiça, e pedi que me deixassem claro, para eu não aceitar nada no escuro. Muita calma, paciência e seriedade para negociações porque uma palavra mal dita pode por tudo a perder. Nessas horas, a empresa acha que tem voce na mão, e qualquer espaço para mal entendido pode não ter muita chance de ser esclarecido a tempo.


Contrato

Contrato de trabalho
Dependendo da vaga, o contrato de trabalho pode ser permanente, 1 ano, 3 anos, como em qualquer lugar. O período probatório varia. Aqui na Suiça normalmente são 3 meses. Já na Alemanha, são 6. Mas já vi emprego com 1 ano de probação. No período probatório, voce não tem muita coisa garantida não. A empresa pode encerrar o contrato com voce a qualquer momento, então é aquela tensão de fazer tudo direito pra ser efetivado depois do período probatório e virar funcionário fixo. Daí, vale o que tem no seu contrato. Em TI, geralmente os contratos são permanentes, isto é, sem data de término. No contrato, deve estar esclarecido todo e qualquer benefício, direitos e obrigações, como de praxe.


Permissão de Trabalho/Residência

Permissão de Residência - Suiça
Brasileiro tem direito a entrar na Europa apenas com passaporte sem vistos e permanecer assim até 3 meses. Depois de 3 meses, é preciso uma permissão de residência. Seja através de um trabalho, de um marido, de um estudo, sem permissão não rola. É muito difícil uma empresa daqui trazer alguém do Brasil de mala e cuia e patrocinar a burocracia inteira da permissão de trabalho com o governo. No meu caso, eu já estava aqui e estava trocando de emprego, mas seria preciso minha nova empresa assumir essa luta por mim no governo, pois a permissão que eu tinha anteriormente ia embora com o fim do antigo emprego. Com o contrato assinado por mim e pela empresa, a empresa ou voce precisa se candidatar a uma permissão no Ministério do Trabalho, que trabalhará juntamente com o Ministério da Migração. Esse trabalho em conjunto é uma novela e não espere em pé não. Quando sair, se o resultado de toda a análise for positiva, voce precisa ir com essa aprovação no que aqui é o Einwohnerdienste, uma espécie de central do cidadão, e com mais um monte de documentos, se candidatar a sua permissão na região onde reside. E aí, é só esperar pra começar a trabalhar.

Eu sei, eu sei. Na teoria tudo é muito bonito e florido, mas na prática pode ser uma agonia só. É sempre difícil ter que provar que voce é capaz, convencer que voce é o melhor candidato para aquela vaga, mas fazer o que, aqui ou aí, se voce não nasceu em berço de ouro como eu, tem que correr atrás. Além disso, aqui no estrangeiro, essas questões de legalização, permissão, etc. são sempre muito delicadas e brasileiro não é muito bem visto como candidato não. É um teste de provação que parece não ter fim.

Como eu disse no começo, eu me candidatei a mais de 100 vagas internet afora. Recebi muitos "thanks, but no thanks". No início, meu foco era encontrar algo na minha área na Alemanha, mas cheguei a me candidatar em vagas na Holanda, Inglaterra. Quando me decidi pela Suiça, tinha outros 2 empregos na berlinda: um em Berlin, e outro em Amsterdam. Admito que amarelei em pegar o emprego de Berlin porque já não sabia se queria morar na Alemanha, e Amsterdam tem cara de tudo, menos de lugar pra se trabalhar com TI. Depois de vir a Berna para a entrevista cara a cara, me apaixonei por isso aqui e não me arrependo de um passo que eu dei.

Hoje já troquei de emprego e participei do processo seletivo do meu novo emprego em Alemão. Olha, não foi fácil não. Mas graças a Deus deu tudo certo. Negociações, contrato, permissão. No final, parece um prêmio quando voce consegue finalmente começar a trabalhar. Pra mim, desde o dia que mandei meu CV até o dia que comecei a trabalhar neste meu atual emprego foram-se 6 meses. Além do que, tive que cumprir 3 meses de aviso prévio no meu antigo emprego que foi uma outra novela mexicana com dramas sem fim, enquanto esperava minha permissão.

Hoje anda tudo bem. Sobrevivi ao período de probação, estou em 6 meses já de novo emprego, e já já já terei que me preocupar em renovar minha permissão de residência, pois mesmo o contrato sendo permanente, a permissão precisa ser renovada todo ano, até um certo tempo. O governo quem decide. E aí, eu terei que ir de novo com meu contrato, uma carta da empresa dizendo que meu trabalho é isso e aquilo e aí receber uma nova permissão.

É importante sempre manter em mente que o processo pode variar de caso para caso. Uns levam mais tempo, outros menos, uns precisam de mais documentos, outros menos. Além do que, não sei como funciona para profissionais de outras áreas que não de TI para trabalhar no exterior. Mas mesmo assim, espero que tenha esclarecido dúvidas e perguntas de quem está interessado no assunto.

16 comentários:

  1. Liana
    Excelente post, tenho certrza de que vai esclarecer muitas duvidas de quem tem interesse em trabalhar na Europa. Parabens!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo post mesmo. E que bom que você logo de cara adiantou que a situação refere-se ao setor de IT. Sem dúvida, é o setor onde mais entra dinheiro e onde sempre há ofertas de trabalho (aqui na Holanda, no Brasil e em todo lugar do mundo).

    Quanto as outras áreas profissionais, a questão de arrumar emprego é (bem) mais complicada. Conheço gente formada em Medicina e já com clínica que veio pra cá e teve de refazer os dois últimos anos de Medicina apenas pra receber uma certificação e ainda teve de começar como assistente ou enfermeira. O meu diploma de Letras que obtive há 20 anos no Brasil também não vale muito por aqui não. O mesmo vale para muitas outras áreas...

    Enfim, pra quem trabalha em IT sempre haverá emprego (a lei da procura e da demanda). Acabei de voltar do Brasil e meu tio e primo estão ganhando super bem, ambos são analistas de sistema (senior).

    De qualquer forma, admiro sua disposição em explicar o processo tim-tim por tim-tim. Nem todo mundo se dá ao trabalho de fazer isso e certamente você ajudará muita gente por aí.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela qualidade do BLOG.

    abraços e muito sicesso.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns filha pelo post! informções desse tipo pode ajudar até quem mesmo ainda está para escolher a graduação e pretende morar fora e ai é uma área sem fronteiras. Combina mesmo com você.. sem fronteiras!! Bjs. Mãe.

    ResponderExcluir
  5. Liana, Muito obrigado pelo post. Já acompanho seu blog e este blog sobre trabalho na europa foi bastante esclarecedor. Realmente IT é uma ótima área para os amantes do mundo. Acho que certificações também são ótimos passos para quem planeja conseguir uma vaga no exterior. Estou nesse processo e a ansiedade está grande. Muito bacana a foto da sua permissão que você usou para ilustrar o post. Valeu!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pelos elogios :)
    Fico feliz que o post tenha ficado bom.

    ResponderExcluir
  7. Que legal Liana! Parabéns!
    Sabe há mais ou menos 1 mês tive contato com uma pessoa na área de recrutamento que me disse que há falta de mão de obra qualificada no mercado aqui, por isso eles acabam trazendo pessoas de outros países pra cobrir esse gap. Ela me disse que existe uma geração aqui na Holanda que não deu muita bola para estudos e formação, ou então que estudou, se formou, mas parou no tempo, nunca mais inmvestiu na carreira.
    Ela me disse que a coisa está tão feia, que tem empresas com vagas abertas na área de procurement, por exemplo, há meses, e não conseguem encontrar ninguém. Essa agêngia de recrutamento pega pessoas que estão no mercado, investe em cursos e especializações para essas pessoas pra que depois elas possam voltar para o mercado. Legal, né?
    Eu vejo isso na minha própria empresa, que vive com vagas abertas, mas que recebe tanto CV nada a ver que acaba tendo que trazer pessoal da Alemanha e UK.

    Beijo!
    Line

    ResponderExcluir
  8. Liana, na empresa em que trabalho existem muitas pessoas da Asia e America do Sul trabalhando pela falta em encontrar mão de obra especializada aqui (acredite se quiser). As vagas chegam a ficar em período crítico e é difícil. Lógico que são vagas bem especificas, como engenharia espacial, mas existe sempre muitas oportunidades na área de TI. Acho que vale apena acreditar, investir em um bom currículo e sair espalhando por ai.

    beijao

    ResponderExcluir
  9. Liana, muito obrigada pelas dicas. Eu tb consegui meu estágio na Alemanha mandando CV para vários sites... Mas vc mencionou que já estava trabalhando aí, que conseguiu seu 2o trabalho mandando CV, fazendo entrevista... mas não entendi como foi o primeiro trabalho que conseguiste ai, se a empresa te auxilou ou não n visto de trabalho... bjss e obrigada

    ResponderExcluir
  10. oi Bia, sim, no meu primeiro emprego a empresa tambem auxiliou na minha permissão de moradia por aqui, mas era uma permissão especial, por isso nem mencionei.

    ResponderExcluir
  11. Nossa Liana, eu nao lembro de ter lido este post antes. Eu ja lia seu blog ha um tempo. Mas hoje vim com uma busca especifica... meu marido eh doido pra morar na Europa. Ele ja morou na Austria por um ano fazendo intercambio (ele eh Americano), e amou. O sonho dele eh voltar pra Europa e termos filhos ai. Mas eu nao tenho passaporte europeu entao nao tenho como "dar" esse presente a ele. O jeito mesmo eh ele procurar alguma empresa americana ou ateh mesmo multinacional e tentar um emprego. Ele eh um accountant e ta fazendo mba agora.Nos estamos pensando em que paises gostariamos de tentar... e um deles eh a Suica pela qualidade de vida. Sabemos que o custo de vida aih eh caro tb, mas eh um dos paises com melhor qualidade de vida na Europa, e tb um dos poucos que nao sofrem com a crise. Quando entrei hoje aqui vim procurar algo sobre isso e dei de cara com esse post no lado direito "posts mais lidos" e caiu como uma luva. Obrigada por compartilhar sua experiencia com a gente. Antes era apenas um sonho distante, agora estamos realmente arragacando as mangas para correr atras disso, primeiro estamos pesquisando. Mais uma vez obrigada. Acho que eu ainda virei com perguntas pra voce. Voce nao tem escrito mais? Faz tempo que nao vejo atualizacoes. :)

    ResponderExcluir
  12. Olá, muito obrigado pelo post, quanto mais informação melhor :)

    Tenho cidadania italiana e esse ano termino a minha graduação de economia (além dos vários cursos na área financeira e de negócios), e além do português, falo inglês e italiano fluentemente (e alemão básico, ainda estudando).

    Tenho pesquisado empregos na Europa através do Linkedin (pretendo ir para a Europa em 2014), inclusive encontrei muitos empregos na minha área, principalmente no Reino Unido e Alemanha, porém, minha dúvida é: eu conseguiria um emprego sem o "cara a cara"? Pela experiência de vida que vc tem aí, acredita que as empresas realmente aderem às entrevistas online?

    Cheguei a pensar em ir à Europa e aceitar "qualquer" emprego somente para estar aí, e então buscar um emprego da forma que desejo ficaria mais fácil.

    Muito obrigado pelas dicas,
    Abraços,
    Giliarde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sim. Normalmente fazem o cara a cara, mas quando não é possível, fazem conferencia por skype e ai pode-se ver pela camera. Já aconteceu na empresa que trabalho, então não é descartável.

      Excluir
    2. Hum, vc me deixou mais feliz, obrigado x)

      Excluir
    3. Obrigado, vc me deu mais esperanças x)

      Excluir
  13. Olá, muito obrigado pelo post, quanto mais informação melhor :)

    Tenho cidadania italiana e esse ano termino a minha graduação de economia (além dos vários cursos na área financeira e de negócios), e além do português, falo inglês e italiano fluentemente (e alemão básico, ainda estudando).

    Tenho pesquisado empregos na Europa através do Linkedin (pretendo ir para a Europa em 2014), inclusive encontrei muitos empregos na minha área, principalmente no Reino Unido e Alemanha, porém, minha dúvida é: eu conseguiria um emprego sem o "cara a cara"? Pela experiência de vida que vc tem aí, acredita que as empresas realmente aderem às entrevistas online?

    Cheguei a pensar em ir à Europa e aceitar "qualquer" emprego somente para estar aí, e então buscar um emprego da forma que desejo ficaria mais fácil.

    Muito obrigado pelas dicas,
    Abraços,
    Giliarde

    ResponderExcluir