P.D.F. - Como trazer meu cachorro pra Europa? ~ Ela é americana... da América do Sul

P.D.F. - Como trazer meu cachorro pra Europa?

Quando eu estava pra vir pra Suíça, falei aqui que não ia dar pra trazer Juca comigo por causa dos exames e teria que esperar 20 dias e na época eu não tinha 20 dias pra esperar. Acontece que nem eu sabia direito, mas não eram só 20 dias que eu teria que esperar, eram mais 3 meses após o exame de sangue e só então se ele não apresentasse nenhum sintoma, poderia viajar. Complicado viu. Tudo porque na Europa nunca houve um caso de raiva em cães. Anyways, muita gente me pergunta como eu trouxe o Juca recifense pra Suíça, então aqui vou tentar contar em mais detalhes de acordo com a minha experiência como fazer pra trazer seu cão pra morar com você na Europa.

Pesquisei em vários sites e cada um dizia uma coisa. Uns diziam que não existia quarentena e era só chegar lá com a carteira de vacinação em dia, outro dizia que precisava de exames e mais exames e eu fiquei meio sem saber pra onde correr. Fui ao veterinário de Juca em Natal e conversei com ele, pensando que ele já pudesse ter experiência com isso. E ele tinha. Acontece que cada país tem sua regra, então apesar de existir uma regra geral de exames, a entrada do animal no país de destino pode diferir e precisar de mais ou menos documentos que outros países, então vale a pena consultar com detalhes o departamento federal de veterinária do país destino.

Na Suíça, o FVO (Federal Veterinary Office) é o órgão que cuida deste assunto e apesar de ter fuçado vários sites genéricos, a informação que eu precisava estava lá. Informações mais detalhadas só existem lá em alemão, francês e italiano. Em inglês as páginas já são mais resumidas.

- Chip
Todo animal que existe por aqui é identificado. Não existe animal de rua, como cão de rua abandonado. Não existe. Aqui todo animal ou é tatuado ou é chipado. A primeiríssima coisa que eu precisei fazer para realizar qualquer exame era ter meu cachorro identificado. Vale salientar que não é todo consultório veterinário que faz a implantação do chip, mas encontrado um bom que faz, é simples. O chip é minúsculo e contém um código de identificação que só aquele animal possui, feito o número do CPF pra gente . O chip é inserido atrás do pescoço do animal e ele não sente nada.

- Vacinas em dia
As vacinas anti-rábicas e outras orientadas pelo veterinário devem estar em dia. O processo não segue se faltar uma vacina. O próximo passo que é o exame de sangue só pode acontecer alguns meses após a vacina anti-rábica ter sido aplicada.

- Exame sorológico
Implantado o chip, seu cachorro já está identificado. Com as vacinas em dia, o próximo passo é realizar o exame sorológico. Este exame custa 300 e poucos reais e é a prova que seu cachorro está livre da raiva. Fui informada que o exame só pode ser realizado poucos meses após a última vacina contra raiva, pois se tiver sido aplicada imediatamente antes do exame, o exame pode não ser capaz de obter os resultados reais. Além disso, o único instituto que a União Européia autorizou no Brasil a realizar tal exame é o Instituto Pasteur, em São Paulo. Então você tem que ir até São Paulo? Não. O veterinário se encarrega de enviar as amostras, mas você deve pagar os serviços dele. Além do exame, é claro. Essa brincadeira leva tempo, então até o veterinário enviar, o instituto realizar a avaliação, se certificar que está OK, enviar de volta pro veterinário e você estar com o certificado na mão, coloque aí um mês.

- 3 meses de espera
Estando com o resultado em mãos do exame sorológico provando que seu cachorro está livre da raiva, agora você tem que esperar. Até então, as regras cima valem para qualquer país. Mas não sei ao certo se esta regra vale para todo país. Creio que sim, mas é bom verificar com o centro federal veterinário do país. Aqui na Suíça, depois que o exame de sangue retorna com sucesso, é preciso aguardar 3 meses com o exame na mão. Depois de 3 meses, o cachorro volta ao consultório veterinário, o veterinário examina, e certificando que o animal está bem e saudável, ele emite um certificado de saúde, e aí sim depende do país. Aqui na Suíça, existe um modelo que eu peguei do site, enviei pro veterinário, ele preencheu durante o exame do Juca, assinou, carimbou e era o "GO" dele que Juca estava saudável pra viajar.

- Permissão para entrar no país destino
Com o certificado do veterinário, 3 meses depois do exame de sangue, que o cachorro continua saudável e sem raiva, juntei toda a documentação de Juca (cópia da carteira de vacinação - em português mesmo, cópia do exame serológico em inglês e o certificado do veterinário) e enviei por fax com uma carta ao FVO solicitando a permissão da Suíça para aceitar a entrada daquele cão aqui. Tive que anexar uns documentos meus também provando que eu seria a responsável. Entrei em contato com eles por telefone antes e expliquei a situação e confirmei que o procedimento era esse mesmo. Enviei tudo por fax e em poucos dias recebi pelo correio a tão esperada permissão. É um documento que "aceita" a entrada do animal na Suíça. Mas aí você tem que saber qual aeroporto ele vai entrar, colocar o intervalo de dias que ele pode entrar no país, tudo isso tem que constar no documento, então normalmente isso já é feito ou quando já se tem o dia que o animal vai viajar ou quando se tem uma idéia, porque o FVO já "avisa" o aeroporto que naquele período vai chegar um animal assim e assado.

- Permissão da Receita Federal no Brasil
Independente se o seu cachorro vai viajar sozinho como carga ou com você, você precisa de um certificado da Receita Federal reconhecendo que aquele animal que antes residia no Brasil vai sair para "morar" em outro país. Tem que levar toda a papelada aí de cima lá e eles emitem este novo documento, normalmente no mesmo dia. A Receita Federal é aquela mesmo do aeroporto. Se o seu cachorro vai viajar sozinho como carga, é preciso contactar o responsável da companhia aérea por este serviço para dar conta da papelada extra com a Receita. A princípio, Juca viajaria só, mas o preço é absurdamente alto. Então quando eu fui ao Brasil e voltei em Janeiro do ano passado, o trouxe comigo. Ele não precisou vir como carga desacompanhada e o procedimento é um pouco menos complicado e mais barato. No entanto, toda essa burocracia ainda é preciso.

- Animal na cabine ou no cargo
Cada companhia aérea tem sua regra de peso do animal + bolsa ou caixa onde viaja permitido para viajar com você na cabine, ou se ultrapassar o limite tem que ir como cargo, numa área "especial" lá embaixo do avião. No meu caso, Juca pesa 7 kg. Eu estava viajando de TAP onde o máximo permitido é 7kg. E Juca ainda estava dentro de uma caixa que pesava 3kg. Cheguei ao aeroporto com horas de antecedência e fui conversar com o responsável da TAP que lá na hora me disse que se eu arrumasse uma bolsa menos pesada e menor do que a caixa ele poderia viajar comigo em cima, caso contrário, teria que despachá-lo. Imagina o meu desespero. Onde eu ia arrumar uma bolsa ali? Já era. Não consegui. Juca teve que ser despachado, e eu doidinha sem saber como era essa "área especial" lá das malas onde não era frio e ele não ia chegar morto nem doente na Suíça. Mas graças a Deus deu tudo certo. Nem xixi ele fez na casinha e chegou bem direitinho.

- Entrada no país destino
A entrada aqui foi mais tranquila do que eu esperava. Eu estava com toda a papelada que falei acima na mão e Juca na outra mão. Na saída do aeroporto, quando pegamos as malas, me dirigi à área de "bens a declarar" e mostrei lá todos os papéis. Ainda tive que pagar mais uma taxa que nem me lembro mais quanto foi e pronto. Juca tinha legalmente entrado na Suíça.

- Passaporte do animal
Já aqui na Suíça, precisei levar Juca ao veterinário para atualizar algumas vacinas, tirar o cartão de vacina suíço e emitir o passaporte dele. Sim, animal pra viajar de um país para outro aqui na Europa precisa de passaporte. De novo, levei toda a documentação dele e pronto, muito mais fácil do que passaporte de gente! Lá, constam todas as vacinas e os dados dele.

Vida de cachorro que nada hein Juca! Já vai fazer 1 ano que ele mora aqui e não teve nenhum problema, doença, nada. Adora brincar na neve e, com sua simpatia, sempre chama a atenção dos suíços quando anda na rua.

37 comentários:

  1. Olá Liana, eu também trouxe meus 2 caes para cá! Na época era para trazer os 4 caes que tinha no Brasil, mas nao deu. Eu trouxe só os 2 mais velhos. Deu trabalho e tudo que vc escreveu no post eu tive que fazer. Meus queridos nunca tiveram nada, sempre saudáveis e tomam as vacinas anuais aqui, tudo certinho! Logo teremos mais caes, adoro! Só que desta vez, sao alemaes!!! Beijos e um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Eu amo cachorro, mas nessas horas dá uma dor de cabeça ter um. Ainda bem que deu tudo certo e que o Juca chegou bem!

    E vem cá... o que vc faz com ele quando viaja pela Europa? Ou até de férias para o Brasil?

    bjs!

    ResponderExcluir
  3. Que post mais bacana!
    Que bom que o Juquinha está aí com você!!!
    o Juca é um fofo e você uma fofa!

    beijukkkas :D

    ResponderExcluir
  4. Liana, que trabalheira!! Mas tenho certeza que vale a pena, pra ter a companhia do Juca! Ele é fofo!
    Agora fiquei pensando: será que pra gato é a mesma coisa? ;-)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Liana, que trabalheira! Mas sabe que fico com pena dos cãezinhos viajando de avião? Li em algum lugar que ha muitos animais perdidos (assim como bagagens) e que ficam de um aeroporto a outro até chegar no destino e que muitos não resistem.
    Enfim, tenho uma gatinha no Brasil que sempre digo que vou trazer junto comigo para a França, mas como ela ja tem uma certa idade, 16 anos, é complicado. Ainda bem que deu tudo certo com o teu cãozinho! Deve ser uma otima cia!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Passaporte do animal foi o máximo... Hehehehehe! Eu com certeza faria tudo isso e muito mais para ter meus bebes comigo em qualquer ligar... O Juca é lindo!
    Bjs e Boas Viagens!
    www.expedicaoandandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Bia, quando eu viajo ou eu deixo ele com alguem que conheço ou num hotelzinho :)

    ResponderExcluir
  8. Fiz tudo isso e não me arrependo! Foi muita dor de cabeça, muitas expectativas, ansiedade e dinheiro gasto, mas o fato de a Brisa estar aqui comigo hoje não tem preço! Ela veio como cargo, chegou aqui toda mijada, mas feliz, haha!
    Faria tudo de novo!

    ResponderExcluir
  9. Nossa Liana, que trabalheira! Ha algume tempo atras eu teria a opiniao de largar o cachorro no Brasil, mas hoje eu entendo muito bem o porque de enfrentar todo esse trabalho. Bryan e eu temos uma cachorrinha agora que eh como uma filha. Ela eh super grudada nele, e eu nela, haha (ela nem liga pra mim), mas fico pensando, se Bryan fosse morar um dia na Austria mesmo (como ele sonha), eu acho que iriamos acabar fazendo tudo isso por ela!!! Vale a pena!

    ResponderExcluir
  10. Ah Liana a coisa que eu mais queria nesse mundo era levar o meu Johnny comigo, dói só de pensar que não vou poder leva-lo. Johnny não fica sozinho em casa, tem vários problemas de saúde, eu e o marido trabalhando nao vamos ter tempo pra dedicação que o Johnny merece. Meus pais ficariam incosoláveis se eu trouxesse ele, mesmo sendo meu cachorro, meu pai ama o Johnny como se fosse um filho, não posso tirar isso deles também, então Johnny fica, e meu coração fica aos pedaços :(

    Beijao

    ResponderExcluir
  11. Nossa, quanta burocracia!! Eh mais dificil de trazer um cachorro do que trazer um filho, hehehe! Valeu pelo post, super explicativo. Sempre aparece gente me perguntando sobre isso, agora vou mandar teu post.

    ResponderExcluir
  12. Que post mais que útil!!! era tudo que precisava ler. Li muita coisa, mas nada combinava com nada, e sua experiência me deu uma noção da burocracia. Até ja me disseram que para Londres ainda tem que ficar tres meses em observação longe do dono, mas já vi que fizeram confusão. É um certo exagero, pois até mesmo no Brasil já não há a Raiva há muitos anos pelo que sei. Mas enfim, é cumpri e pronto. O Juca é lindo e feliz e agradecido por está pertinho de você,com certeza!!!

    ResponderExcluir
  13. Dificil, complicado, trabalheira danada mas valeu a pena :)

    ResponderExcluir
  14. oi querida tudo bem olha amei sua postagem e te digo mais ta sendo minha salvaçao pois eu tbm estou nessa maratona pra trazer minha sofia pra suiça mais ate agora ta indo bem o exame ja foi feito agora to aguardando os 3 meses de espera e vamos ver agora eu tenho uma duvida a companhai disse q eu pago como se fosse excesso de bagagem posso te perguntar quanto vc pagou de passagem pra trazer o juca? a sofia vem com minha irma....bjim obrigada...um cheiro no juca ele e lindo... a a sofia e uma shitzu e pesa 5 kg e linda tbm

    ResponderExcluir
  15. Uma pergunta: A vacina anti-rábica de minha Milli vai vencer 12 de dezembro 2011. Pretendo fazer o exame > Instituto Pasteur em Novembro 12, 2011. O reforço da vacina será em 12 de dezembro 2011. Então ela irá com um reforço, e não a vacina que foi examinada pelo Instituto Pasteur. Decorridos 3 meses aquela vacina que é a do teste já está vencida, havendo nova vacina em seu lugar. O que faço? Vacino de novo? Posso usar essa vacina + o refotço?

    ResponderExcluir
  16. boa pergunta. nao faco a menor ideia. nao passei por essa situacao. sugiro confirmar com o centro veterinario do pais ou com o ministerio da agricultura no brasil.

    ResponderExcluir
  17. Outra coisa interessante que vc poderia escrever é como os cães enfrentam o frio europeu. Eles dormem do lado de fora de casa como no Brasil? Queria levar os meus três para a Europa, de 8, 15 e 30 Kg, então fico bastante preocupada com essa burocracia toda e com o friozão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom, eu moro em apt, então juca dorme no quentinho. mas sabe, mesmo andando na neve, na friaca, só com uma roupinha, ele nunca pegou nem uma gripe. eles se acostumam.

      Excluir
    2. Tenho um amigo e ele esta com problemas para trazer o caozinho dele da italia,o cão ja e velho e pesa mais ou menos 15 kl,ele ja tentou de tudo...
      Alguem tem uma informação que nos ajude

      Excluir
  18. Thais - muito legal saber de tudo isso. No meu Caso, preciso me informar de como levar o cao para ferias no Brasil, eu moro na Noruega.
    Pensei como sera dificil.. Rss.. :)
    O juca eh lindo! Adoro isso da UE de ter passports para caes e gatos. Eh mais pratico.

    ResponderExcluir
  19. Olá Liana, amei seu Blog!
    Estava eu pesquisando/procurando os procedimentos de como trazer meu cachorro e do nada achei seu blog todas as minhas dúvidas foram esclarecidas e por coincidência estou viajando em Janeiro para o Brasil e o trazendo para Suiça, mas confesso que já estava com medo que de todo esse procedimento no final você escrevesse: "e quando Juca chegou na Suiça teve que ir ao Klubschule Migros". (risos)
    Liebe Grüße an Euch, Liana+Juca!

    ResponderExcluir
  20. gostei muito do seu blog,eu tambem estou nessa situaçao,tenho duas cachorra puldo.esse exame é valido por quanto tempo.eu quero compra a minha passagem ,estou preoculpada de compra as passagem sem ter um resultado d o exame.

    ResponderExcluir
  21. Ola, Boa noite
    vc sabe me dizer, o que precisa para um cachorrinho puldo, viajar sozinha pra Alemanha ? se precisa autorizaçao da receita federal no Brasil ? pra esse puldo entra na Alemanha ? favor responder pro meu email.. denizmar29@hotmail.com

    ResponderExcluir
  22. Ola, amei o post
    Estamos mudando para Noruega com 2 cachorros, um na cabine e outro como bagagem despachada devido ao peso.
    Minha duvida é a seguinte, apos tomar a vacina, esperar 30 dias e enviar o exame de sangue sorologico para o Instituto pasteur, a quarenta de 90 dias comeca a contar a partir do dia que envio o sangue para teste ou do resultado do exame do instituto pasteur?
    Caso sim, qanto tempo demorou o seu resultado do exame do instituto pasteur?
    Muito obrigada e Deus abencoe!
    Nao cosnigo me ver voltando para Noruega sem meus filhos. Um beagle danado e um maltes doidao. :)
    Bjs camilanoruegabrasil@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Camila. A quarentena começa a partir do dia do resultado do exame. No meu caso, levou um mês pro veterinário enviar tudo e eu receber de volta os resultados direitinho. Mas como voce vai pra Noruega, veja se há alguma outra coisa a ser verificada além do que mencionei aqui.
      Boa sorte.

      Excluir
  23. Saberia informar quanto voce gastou com tudo??
    Moro na Alemanha e quero trazer meu cachorro pra mim !

    ResponderExcluir
  24. Saberia informar quanto voce gastou com tudo??
    Moro na Alemanha e quero trazer meu cachorro pra mim !

    ResponderExcluir
  25. Liana, vc já trouxe ele de volta com vc para o Brasil ? Minha dúvida é: se o cão vem para o Brasil para uma visita de um mês por ex, qdo voltar para a Europa tem que passar todo o processo de novo?? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, Juca não voltou mais pro Brasil, exatamente porque acredito que tenha que passar por tudo de novo.

      Excluir
  26. eu preferia gastar toda essa grana e ainda mais,,com um ser humano,do que com um cachorro,eu sei que os animais sao uma fofura.!mas quanto exagero essa gente tem por cao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quem tem cachorro tem filho menina!
      é por pessoas vazias como vc que tá cheio de bicho pelas ruas, certamente é muito pra tua cabeça oca entender algo do tipo.

      Excluir
    2. quem tem cachorro tem filho menina!
      é por pessoas como tu que tá cheio de bichos pelas ruas, certamente é muito pra tua cabeça oca entender algo do tipo.Vc de certo viajaria e jogaria o pobre animal na rua!

      Excluir
  27. Oi Liana! Eu e meu marido estamos daqui uns meses de mudança para Alemanha, e temos uma shitzu, chama Bolinha. Estou com dor no coração de deixar ela no Brasil e morrendo de vontade de levar ela. Fico com medo de despachar ela e ela nao chegar viva ai. Vi no seu relato que pela TAP tem jeito de viajar com o cachorro junto com a gente? a minha cachorrinha é mais ou menos do peso do Juca, sera que eu consigo? com certeza desse jeito eu ia viajar bem mais aliviada. o que voce me sugere?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complicado. É pelo peso mesmo. Se a caixa que ele vai dentro for muito pesada e tudo junto ultrapassar 10kg ele não pode ir embaixo. A dica que o cara da TAP deu é arrumar uma casinha, ou seja, uma bolsinha mais leve, que não ultrapasse o peso e ele possa ir em cima. Mas pra ser sincera, acho que depende muito da pessoa que tá lá controlando e fazendo o checkin, umas são mais camaradas que as outras, e se passar 1kg não tem problema.

      Excluir
  28. Ola! Meu marido esta indo em junho me encontrar na Alemanha e pretende levar nossos dois caes,cada um pesa 6kg, nao vamos respeitar o tmpo de qiarentena,vamos arriscar,. Quero saber se compramos caixa flexivel ou aquelas de plastico e o que vc traduziu ou nao precisa traduzir nada? Ele fara uma coneccao em Lisboa, se vc tm alguma dica me escreva.martabauken@gmail.com

    ResponderExcluir